Luciano

Olá prazer me chamo Luciano, tenho 33 anos sou paraplégico com lesão medular incompleta nível T12 e T11. 
Tudo começou com uma dor na costa, as vezes me sentia gasturado na hora de dormir ao ponto de ficar caçando posição na cama. Mas eu achava que não era nada na esperança de melhorar, no outro dia sempre passava só aumentava até que cheguei a sentir diferença na perna esquerda com um pouco de fraqueza. Aí procurei o médico fiz vários exames e a angústia so ia aumentando assim como o problema também, até que um exame chamado ressonância apontou meu diagnóstico. Ao saber o resultado meu mundo caiu pois eu estava com uma massa tumoral comprimindo a medula espinhal só a cirurgia para retirada da massa e fazer biópsia. Mas graças a Deus me deu forças pois sabia que podia estar com uma doença grave. Minha fé em Deus estava sempre a frente, minha cirurgia foi marcada para o dia 22/10/2008 fui chamado no quarto para fazer a cirurgia, fui com fé pensando que tudo iria dar certo.
Quando foi por volta das 14:30 já sem movimentos das pernas sai da sala de cirurgia
Fui para o quarto mais ainda eu achava que era só o tempo de passar o todo processo da cirurgia, pena eu estava enganado no outro dia o médico neurologista fez minha cirurgia passou e explicou que a cirurgia tinha deixado a medula espinhal com lesão devido retirar toda massa tumoral mais que a possibilidade de eu voltar era grande pois a lesão foi incompleta,meu mundo caiu mais uma vez olhei para os lados do quarto parei e pensei naquele momento mais com a força de Deus lá para tempo pensei positivo estou vivo e tenho a portunidade de estar perto da minha família ali mesmo no hospital comecei fazer a fisioterapia comecei a voltar a sensibilidade da perna direita e um pouco de movimento.
Ganhei alta para ir para casa quando a cheguei próximo de casa era difícil segurar minha lágrimas mais tinha todo apoio da minha família superei aquele momento graças a Deus tudo foi normalizando mesmo que foi difícil, aí mais tinha meu resultado da biópsia para pegar com 30 dias lá vai eu mais uma vez com o coração na mão mais com muita fé em Deus e graças a ele deu tudo certo o médico neurologista deu resultado que não tinha dado nada no exame era uma massa tumoral benigna eu logo gritei "verdade doutor" ele "sim" eu disse me dá o exame quero ver ele entregou tive a certeza que não deu nada ele falou agora só fisioterapia não precisa tomar medicamentos falei graça a Deus vou lutar só para voltar andar porque dois problemas seria difícil não impossível mais era complicado, fui fazendo a fisioterapia mesmo com as dificuldades fui me autoaceitando minha deficiência e a palavra mais fácil de ser bem resolvido e autoaceitaçao e tempo foi passando fui me recuperando graças a Deus hoje em dia sou independente,dou uns passos na barra fico em pé e nunca desisti, depois comecei a namorar me casei não deu certo mais foi mais uma superação passei 3 anos casado serviu para experiência e sentir que sou capaz acabou porque assim como todo casal acaba quando não dá certo, hj sou divórciado tô de bem com a vida só tem agradecer a Deus minha família no geral,meus amigos(as) mesmo uns sem nem conhecer mais importante uma palavra amiga e passar experiência também dá exemplo de superação só dá mais forças de seguir. É isso Deus sempre na frente de todas as coisas. Minha frase que sempre tenho na mente é... #CORAGEM, PACIÊNCIA, FÉ E ESPERANÇA.
Obrigado desde já por ler minha história ela nunca acaba sempre vai ter mais rsrs.

Leandro Portella

Com o cérebro decidimos o que é excitante ou não, o que nos atrai ou nos repugna. Saber reconhecer as emoções e aprender a usar a nossa inteligência sexual é essencial para desfrutar plenamente das nossas relações.

A maioria das pessoas acham que a sua sexualidade está exclusivamente nos órgãos genitais, sendo elas cadeirantes ou não, porem quando sofremos uma lesão medular alta achamos que a vida sexual acabou, mas aos poucos vamos pensando mais com a cabeça de cima e percebendo que o nosso principal órgão sexual é o cérebro, que além de regular a secreção hormonal, também comanda as nossas emoções.
Com uma estimulação adequada qualquer parte da nossa anatomia pode ser um ‘ponto’ G . Mas para isso o cérebro tem de a interpretar como excitante, assim aguçando outros sentidos sensoriais além do tato, estimulando o cérebro a sentir novas formas de prazeres. O prazer regula a dopamina, que é capaz de nos fazer esquecer os problemas e as dores quando estamos em pleno momento erótico.
Se tornar tetraplégico nos da a oportunidade de ter uma inteligência sexual, sentir os prazeres de uma relação com a mente e não simplesmente com o corpo. Devemos ser capazes de reconhecer em nós mesmas e nos nossos parceiros sexuais as emoções que a estimulação de outros sentidos provocam. E com esse conhecimento adquirir, desenvolver e dominar capacidades que, com o tempo, podem enriquecer a nossa experiência sexual.
Para desfrutar plenamente do nosso corpo e das nossas relações temos de aprender a ser sexualmente inteligentes e trazer o sexo para a mente, as sensações não são as mesmas, as vezes nos tornamos ate “insaciáveis” na busca do prazer do corpo, porém quando conseguimos sentir com a mente, o sexo se torna muito mais profundo. O órgão sexual mais importante ê: O cérebro!
Foto: @evertonduartefotografo
#cadeirante #tetraplegic #wheelchair #sex

Wilson Rafael

Meu nome é Wilson Rafael tenho 27 anos, sou de São Paulo Capital. Nasci com PC (Paralisia Cerebral) prematuro de 7 meses porque fiquei 8 minutos sem oxigênio na hora do parto. Fiquei 1 mês na incubadora apos 1 mês fui para casa.
O tempo se passou e meus avos(a quem chamo de pais por que me criaram cuidam de mim desde que nasci e são pessoas muito especiais que amo muito. Tenho 4 irmãs e tenho um ótimo relacionamento com elas assim como minha mãe biologica são pessoas que tenho muito carinho) perceberam que eu nao conseguia fazer coisas como sentar sozinho, sustentar tronco, andar nem engatinhar. Os médicos diziam que era só um atraso logo faria isso com o tempo, mas nada da situacâo mudar. 
Até que em uma consulta de rotina no hospital das clinicas o médico disse a minha mãe: "Eu acho que ele tem paralisia cerebral" então me encaminharam para uma avaliacão na Cruz verde aonde foi confirmado o diagnóstico. 
Não houve tempo para tristeza já que também inicei o tratamento com quase 4 anos de idade. Comecei fazendo fisio solo e T.O (Terapia Ocupacional) melhorei muito e aos poucos fui conseguindo fazer coisas do dia dia.
Surgiu uma vaga na AACD ai continuei fazendo meu tratamento (Terapias e acompanhamento médico) lá aonde também estudei do jardim até a 4° serie. Aos 6 anos fiz meu primeiro botox na expectativa de relaxar um pouco mais minha musculatura ja que sou muito rígido. Ajudou um pouco mas aos 8 anos fiz minha primeira cirurgia para alongamentos de correções ortopédicas. O mais difícil foi o período de recuperação ja que foram 64 dias de gesso e depois de muita fisioterapia. Na epoca fiquei com trauma das terapias tive que tomar medicação calmante e até passar no psiquiatra.
Depois de muito sacrifício e passar por etapas consegui andar pela primeira vez com ajuda de um andador de rodinhas uma alegria imensa. 
Aos 11 anos fiz mais uma serie de cirurgias de alongamentos e correção ortopédicas, a reabilitação foi bem mais tranquila e eu depois de 8 meses de terapias eu passei a usar muletas do tipo canadense para andar (uso até hoje)
Depois de concluir o primário na AACD fiz o restante da minha etapa academica em escolas Adventista. A adaptaçao foi tranquila sempre fui bem tratado por meus amigos professores. Sempre escrevo em letra de forma já que tenho dificuldade de coordenaçao motora não conseguindo fazer letra de mão, mas nunca tive problema em relação a isso.
Meus pais sempre me estimularam a estudar e ir em busca de realizar meus sonhos.
Dos 12 aos 18 anos foi a fase dos estudos aonde descobri qual a profissão queria seguir no futuro. Dos 15 aos 17 fiz o ensino médio e junto fiz também Processamento de dados (T.I)
Aos 18 entrei na faculda de Análise e Desenvolvimento de Sistemas realizando um sonho de toda familia.
Com 20 anos tirei a minha habilitação especial para carro porque sempre sonhei em dirigir e ter mais independência. 
Com 25 anos consegui um emprego em uma consultoria de T.I Aonde trabalho atualmente como Analista De Sistema Programador de MEP (Meios Eletrônicos De Pagamento) Gosto muito do meu trabalho procuro aprender um pouco mais a cada dia com meus companheiros que são incriveis e com ótimo ambiente de trabalho em equipe buscamos atingir as metas para entregar um bom produto para os nossos clientes.
A um 1 ano e meio conheci boa parte da galera do grupo logo após ter passado por uma cirurgia de correção ortopédica no pé esquerd, e fiz muitas amizades e me ajudaram muito em processo de reabilitação.
Sou Grato a Deus a minha familia e amigos por tudo que vivo nessa vida.
Agora é hora de pensar e ir em busca de novos sonhos. 
Minha frase é:
"Nunca pode se perder a capacidade de Sonhar."


Atualizações do Instagram

Subir