Criança vítima de bullying pede corda a mãe para se enforcar

O vídeo do garoto chorando teve grande repercussão e comoveu diversos famosos
 Um menino, de 9 anos, pediu a mãe uma corda para se enforcar na última quarta-feira (19), após ser alvo de bullying. Quaden Bayles foi filmado pela mãe, Yarraka Bayles, enquanto chorava e falava: “Só quero me esfaquear no coração. Quero que alguém me mate”. O caso aconteceu na Austrália.
A mãe relata que não tem o costume de publicar esse tipo de situação na internet, mas compartilhou o vídeo para conscientizar as pessoas sobre o impacto do bullying.
O vídeo do garoto teve grande repercussão, quase 6 milhões de visualizações. Entre os espectadores estão diversos famosos que enviaram vários twittes ao garoto, em apoio. O time de rugby Indigenous All Stars convidou o garoto para entrar em campo com a equipe na partida de sábado (22).
Quero ler o post completo

Noiva narra o próprio casamento em língua de sinais para incluir amigos surdos, em MG

A cerimônia de casamento de Kéziah Costa, de 27 anos, e Luan Wagner, de 21, foi totalmente celebrada em Libras (Língua Brasileira de Sinais Libras).
Tudo para que os amigos surdos do casal pudessem participar da mesma maneira que os outros convidados. “O casamento foi planejado para ser acessível para ouvintes, surdos e ao meu amigo surdocego”, contou Kéziah.
O casamento aconteceu no último sábado (11) em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
Kéziah se tornou recentemente professora da Língua Brasileira de Sinais graças à Comissão de Assistência aos Surdos e aos Surdocegos, departamento especial da sua igreja que inclui pessoas com deficiência auditiva no corpo eclesiástico.
“Ter a libras no nosso casamento era uma forma de orgulho, para demonstrar aos nossos amigos surdos que eles têm o mesmo direito e estão no mesmo patamar”, afirmou a noiva.

Ela até tentou segurar a emoção, mas acabou cedendo ao ver que a cerimônia trouxe acessibilidade total a todos os seus convidados.

“Quando começou os louvores, eu disse para meu noivo que cantaria em libras com eles. Ele falou ‘então me dá o buquê’, não daria para cantar com a mão ocupada”, relembra.

“Para nós, a língua de sinais não é inferior à língua oral. Já convivemos com ela no nosso dia a dia e entendemos que as duas têm o mesmo nível. De forma alguma isso prejudicaria a cerimônia, só valorizou, porque todos ali estavam incluídos e isso era nosso desejo. Havia uma equipe de intérpretes que trabalharam voluntariamente, pois é o modo de trabalho que já fazemos”, afirma.


Fonte: R7/Fotos: Reprodução/Danilo Carlos da Silva

Quero ler o post completo

Gerente da Caixa senta-se no chão para atender cliente com deficiência


Só quem tem uma deficiência física é que sabe o quão difícil pode ser fazer uma simples tarefa como ir ao supermercado, por exemplo. Essa dificuldade ocorre na maioria das situações devido à falta de condições das vias públicas e até mesmo dos estabelecimentos comerciais para atender às necessidades de pessoas que têm os seus movimentos limitados, sendo obrigados a andar em cadeira-de-rodas.
Felizmente ainda existe quem pense nessas pessoas e lhes dê a atenção que elas merecem, atendendo-as com o máximo de profissionalismo, tal como qualquer outra pessoa.
Foi o caso de Luis Cláudio, gerente da agência da Caixa Económica, na cidade de Volta Redonda, Rio de Janeiro, que acabou por viralizar nas redes sociais, graças a um gesto de pura sensibilidade e humildade, ao sentar-se no chão para atender um cliente que não tinha pernas.
A atitude foi fotografada por uma outra cliente, Isabel Paiva, que ao ver a situação, não resistiu em tirar uma foto e partilhar no seu perfil do Facebook, parabenizando o homem pela sua extrema disponibilidade e sensibilidade, acabando por viralizar com mais de 30 mil gostos e 8 mil partilhas.
Quero ler o post completo


Subir